Batom corretivo, um nacional

Sou uma perseguidora do batom nude apagado ideal desde que me conheço por pessoa que usa batom. Como sou bem branca, o nude apagado pra mim tem cor de corretivo mesmo, e não é tão fácil de encontrar.

Quem lê o blog há um tempo já está cansada me ver falando do Fleshpot, o apagado mais perfeito pra mim, que é MAC Pro, e também do Myth, que não fica tão apagado quanto, mas superfunciona e tem em qualquer loja MAC. Ainda da marca, tem também o Close to Real, que era de coleção, está no fim, e eu economizo ao mesmo tempo que torço para eles relançarem, e o Lip Erase, produto MAC Pro que, como o nome sugere, é um apagador de lábios.

Da Inglot tenho um batom- lápis apagador, o Lip Pencil cor 13. Tinha um do Yves Saint Laurent, Rouge Volupté cor Blonde Sensuel, que acabou, e tem também o Blush Nude do Tom Ford. Mas das marcas nacionais, o que mais chega perto do nude perfeito apagado pra mim é o Palê do Duda Molinos – mas mesmo assim, quando uso ele, passo um pouquinho de bronzer para que a boca fique, com o contraste, mais apagada. Eu entendo que por aqui não tem tanta gente branca-fantasma e que quer um visual boca-de-morto, então é difícil mesmo encontrar um batom corretivo nas marcas nacionais.

Mas qual não foi minha surpresa quando isso aconteceu hoje!?! Chegou na redação um batom da B Side, da coleção que a marca fez com tema Alice no País das Maravilhas. É a cor Kingsleigh e ficou totally nude em mim!!! Nem acreditei.

Sem foto do rosto todo porque, ai que divertido, me apareceu um tersol no olho! #afe. Ele não está tão pavoroso, mas aboli a maquiagem por esses dias então… nem pensar em foto.

Ele desliza bem e não tem nada de brilho (senão já seria descartado da categoria), não faz a linha opacona, mas cobre o suficiente para apagar a boca. Tinha o Myth comigo e comparei os dois, olhem como o Kingsleigh é bem mais claro:

Ele fica quase invisível na minha mão! Foi por isso notei o potencial, alías…

No site da B Side tem a lista completa de pontos de venda (aqui), dos onlines o melhor preço que encontrei foi no NG Shopping – R$ 33. Só espero que, por essa coleção ser uma edição limitada, o batom continue na linha normal quando a Alice for embora…! Ponto negativo? Ele entra naquela categoria de batons que deixam gosto ruim na boca… em todo caso, bem mais vantagens que desvantagens!

Aproveitando o assunto e voltando pros “da gringa”, o que está na minha lista agora é o Pure Matte cor Madère, da Nars. Foi Mônica Salgado, colega de Vogue, quem me apresentou (ela também é do time boca apagada lovers), e é realmente uma borracha labial!! Super super apagado, bem opaco, é para quem ama a boca nude ao extremo (dá para comprar online aqui no Kiss and Makeup).

Sempre bom lembrar que batom nude apagado não é a mesma coisa que batom cor de boca. Já fiz um post falando sobre isso, aqui, que cada tom de pele tem o seu apagado e tals (tipo o Honeylove da MAC, é um que muita gente ama, incluindo minha dear colega Barbara, mas em mim fica um horror). Aliás essa montagem acima eu estou reaproveitando desse post, fiquei super passada com meu talento (ahahahah).

Basicamente o cor de boca é sua boca, com um up, uma corzinha extra ou só a textura do batom, e o apagado tira a cor do lábio. Mas você não ficará com a expressão abatida se usar um blush e realçar os olhos, então não tema! Dica final e também repetida (recordar é viver): quem não tiver um batom apagado à mão pode sempre apelar para o corretivo, com bastante lip balm antes para não ficar seco/craquelento.