Iluminem-se!!!!


Meninas, vocês nem imaginam mas esse post é mucho especial para mim. Porque sempre amei coisas que brilham, glitter e etc, e imagens como essa aí de cima sempre prenderam meus olhos mais do que as outras. Essa foto é de um editorial da Bazaar de setembro de 04, da Gisele na capa, e eu lembro direitinho (tanto que nem precisei ficar pensando para achar a revista em meio a taaaantas outras!). Não é a coisa mais linda? Mas a melhor de todas mesmo é essa abaixo, que pelas minhas contas data dos idos 1999. Uma campanha da Lancôme by Fred Farrugia, que tinha aquele glitter, e eu ficava várias horas olhando obcecada. É uma das minhas memórias de maquiagem mais fortes, e fico muito feliz de ter arrancado a página da revista, tempos depois, pra guardar no meu arquivo (que por sinal tem várias matérias antigas muito engraçadas). Alguém se lembra? Ai, suspiro.

Bom, agora vamos ao iluminador na prática. Onde passar? Qual escolher? Claro que ninguém vai sair como as moças das fotos no dia-a-dia, mas esse produtinho, quando bem utilizado, pode ser muito bacana para dar um toque final no make.

Essa é Kate Winslet iluminada. Estão vendo a região meio em cima do osso da bochecha, perto da têmpora e do olho, que está… iluminada? Pois aí é um bom lugar para aplicar o seu. Sempre use de maneira que ele e o blush/bronzer se fundam, para não ficar uma divisão esquisita. Isso significa que um pouco do iluminador acaba indo por cima do blush/bronzer, mas não totalmente. Ele costuma vir por último na linha de aplicação base-corretivo-pó-blush (essa é a ordem que eu faço pelo menos). Reparem também que ele não chega muito perto do canto interno do olho. O dela, pelo que parece pela foto, é daqueles mais suaves, que não tem muitas partículas de glitter, está mais para um cremoso.


Essas imagens são do último desfile da Raia de Goeye, e mesmo com o cabelo na frente na primeira dá pra ver que o iluminador aparece bastante nessa região da têmpora né? Bom, para quem não sabe (eu falei disso em todo canto, Chic, Vogue, Passarelas…) quem fez o make foi o Max Weber e ele usou… o The Multiple Copacabana, da Nars! Que eu sei que várias leitoras possuem, e eu também. Pois então, ele passou aí, no canto interno dos olhos, no v em cima da boca, na base do nariz, o resultado ficou lindíssimo e extra iluminado! O Copacabana é um iluminador em bastão, cremoso. Uma coisa que dá para perceber, vendo o resultado na passarela na segunda foto, é que o iluminador aparece mais ou menos dependendo do ângulo e da luz. Por isso, quando estiver aplicando, procure mexer o rosto e olhar no espelho, só para não exagerar! Detalhe: nesse make também vai lápis branco dentro do olho, e um toque de blush.

É, eu de novo! Mas é que essas fotos mostram bem o efeito luz, e além do que foi nesse lindo dia que eu conheci o Iridescent Pressed Powder na cor Belighful, da MAC, que virou um dos meus top favoritos. Foi a Van, do Beleza Bacana, que fez meu make, eu tava fazendo uma matéria pro Chic que era dia de modelo, e eu fui no camarim da Neon e passei por todos os processos!! (Por isso o início de boca vermelha também). Bom, a Van passou o Belighful na minha pálpebra toda, não tinha nada de sombra além disso, olha como fica legal! E aí desceu com ele fazendo esse c ao contrário, dá pra ver melhor na primeira foto. O c é um bom formato para imaginar quando se passa iluminador.

Produtos:

Esses são os meus iluminadores!!! Exagerada, magina…. O mais de cima, maior, é o Iridiscent Loose cor Silver Dusk, da MAC, meu primeiro, que mora no meu coração. Minhas amigas vinham se maquiar em casa e eu passava em todo mundo, a Io apelidou ele de “fada” hahaha. Ao seu lado, o bastão Copacabana da Nars, embaixo o Pigment Lily White, da MAC, que é mais grosso que o Silver Dusk e eu uso mais de sombra, esse branquinho é o Secret Brightening Powder, da Laura Mercier, ele está mais para pó de finalização, mas tem um leve brilhinho, foi o Max Weber que me influenciou também porque só falava dele nos últimos desfiles. O outro branquinho mais magrinho, ao lado, é outro Pigment Frozen White da MAC, ele é meio furta cor e muito brilhoso. Depois vem o Glimmershimmer cor On the Town, da MAC, um iluminador líquido que é uma graça mas eu uso menos. Esse foférrimo de flores foi o Proença que me deu de niver, é o Blushing Daisies, da The Body Shop. Como bem diz o nome é um blush, superiluminado, e rosa bem clarinho, dá pra usar sozinho ou por cima de outro. Ao lado dele está o Belighful, que eu levei no encontro, e em cima outro que ganhei de Proença, novidade da MAC, o Beauty Powder Loose cor Tenderdusk. Ele tem um brilho mais suaves que seus irmãos Iridescent.

Só um último detalhe. Iluminador não tem NADA a ver com brilho de pele oleosa, por isso é superimportante que antes de usá-lo a pele seja minimamente preparada para o efeito ficar mais bonito. Corretivo é o mínimo, para neutralizar pontos de vermelhidão e olheiras, base e pó são bons para segurar o rosto com aquela aparência fresca ao longo do dia. Isso posto, eu acho que quem tem pele oleosa pode usar o produto, se mantiver o brilho sob controle, pode ser com retoques de pó ou com aqueles lencinhos anti-brilho.